SOS LÍNGUA PORTUGUESA

SOS LÍNGUA PORTUGUESA
Tire suas dúvidas. Faça perguntas!!

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

SINTAXE 2 (continuação 3)


                        d)ORAÇÕES   REDUZIDAS 
                         Chamam-se  assim  porque:
       .  Não  possuem  conjunção  e nem pronome relativo ligando-as a outras;
       .verbo  está   sempre no  infinitivo (r),  gerúndio (ndo)  ou   particípio  (ado, ido).
             
    O  que  fazer,  então ?
          Coloque  uma  conjunção ou um pronome relativo   e  mude  o  verbo  para  outro  tempo, que combine com a oração.
          Exemplo:  É   necessário  estudarmos.    =    É  necessário  que  estudemos.

                     Desdobradas, as orações reduzidas podem tornar-se:                     

*SUBSTANTIVAS:                                                                                                                                                          
 .  REDUZIDA  DE  INFINITIVO:
Não  convém  falarmos  disso.   (...que falemos disso) =  subordinada substantiva subjetiva                                                                                                                           
Ninguém aceita viver sem liberdade. (...que se viva sem liberdade) = sub. subst. objetiva direta
Nada me impede de ir agora.  (...de que vá agora) =  sub. substantiva objetiva indireta

 * ADJETIVAS

 .  REDUZIDA  DE  INFINITIVO
Ele  foi  o  último  a  chegar  aqui. (...que chegou aqui) =  subordinada adjetiva restritiva

REDUZIDA  DE  GERÚNDIO
Passaram policiais  levando prisioneiros. (...que levavam prisioneiros) =  sub. adjetiva restritiva 

. REDUZIDA  DE  PARTICÍPIO
Esta  é  a  notícia  divulgada  na  imprensa. (...que divulgaram na imprensa) = sub. adj. restritiva                 

  * ADVERBIAIS: 
 
. REDUZIDA  DE  INFINITIVO
Todos  choraram  ao  se  despedirem. (...quando se despediram) = sub. adverbial temporal  

. REDUZIDA  DE  GERÚNDIO:    
 Ficando aí, não verás nada.  (Se ficares aí, ...) = subordinada adverbial condicional

. REDUZIDAS  DE  PARTICÍPIO:
Cansados de estudar, todos saíram. (Porque cansaram de estudar, ...) =  sub. adverbial causal
              
* ORAÇÕES COORDENADAS REDUZIDAS As únicas orações coordenadas  que aparecem reduzidas  são  as  coordenadas  sindéticas  aditivas   e  só  aparecem no gerúndio.
Exemplos:  O  vaso  caiu  no  chão,  despedaçando-se.   (e  despedaçou-se)
                          O  balão  subiu  rápido, desaparecendo  no  céu.  (e  desapareceu  no  céu)

                           RESUMÃO    DAS  ORAÇÕES
ORAÇÕES  COORDENADAS
• COORDENADA  ASSINDÉTICA: sem conjunção
• COORDENADA  SINDÉTICA  ADITIVA: soma, adição – E,  NEM
• COORDENADA  SINDÉTICA  ADVERSATIVA: oposição  - MAS, PORÉM
COORDENADA SINDÉTICA   ALTERNATIVA: alternância - OU, ORA
COORDENADA SINDÉTICA   CONCLUSIVA: conclusão - LOGO, PORTANTO
•  COORDENADA    SINDÉTICA  EXPLICATIVA:  explicação - PORQUE

ORAÇÕES  SUBORDINADAS  SUBSTANTIVAS
ORAÇÃO  PRINCIPAL- sem conjunção
• SUBORDINADA SUBSTANTIVA  SUBJETIVA: sujeito — Que é que...?
• SUB. SUBSTANTIVA  OBJ. DIRETA: objeto direto — O  quê ?
• SUB. SUBST.  OBJETIVA  INDIRETA: objeto indireto — De quê?  Em quê? A quê?
 (verbo)
• SUB. SUBST.  COMPL. NOMINAL: compl.. nominal --  De quê?  Em quê?  A  quê?  (nome)
• SUB. SUBST.  PREDICATIVA: predicativo: sujeito + verbo  SER
SUB. SUBST.  APOSITIVA: aposto  - dois pontos

ORAÇÕES  SUBORDINADAS  ADJETIVAS                               QUE (o qual)
ORAÇÃO  PRINCIPAL: sem pronome relativo                           QUEM (ao qual)
• SUB. ADJETIVA  RESTRITIVA: especifica - sem vírgula        O QUAL - CUJO
SUB. ADJETIVA   EXPLICATIVA: explica — com  vírgula       ONDE  (no qual)
                                                                                                              QUANTO (tanto, tudo)
ORAÇÕES  SUBORDINADAS  ADVERBIAIS
ORAÇÃO  PRINCIPAL:  sem conjunção
• SUB. ADVERBIAL  CAUSAL: causa  — PORQUE...
• SUB. ADVERBIAL COMPARATIVA: comparação - COMO, TAL QUAL...
SUB. ADVERBIAL. CONCESSIVA: concessão - EMBORA, AINDA QUE...
 • SUB. ADVERBIAL CONDICIONAL: condição – SE,  CASO...
• SUB. ADVERBIAL  CONFORMATIVA: conformidade, acordo – CONFORME, SEGUNDO
SUB. ADVERBIAL  CONSECUTIVA: consequência — TAL/ QUE,  TANTO / QUE...
SUB. ADVERBIAL FINAL: finalidade - A  FIM DE  QUE, PARA. QUE...
SUB. ADVERBIAL PROPORCIONAL:  proporção -  À  PROPORÇÃO  QUE...
SUB. ADVERBIAL  TEMPORAL: tempo — QUANDO, LOGO QUE, ASSIM QUE...

ORAÇÕES  REDUZIDAS
• Não têm conjunção, nem pronome relativo.
• Os verbos estão no INFINITIVO (r), no GERÚNDIO (ndo) ou no PARTICÍPIO (ado, ido).
O que fazer?   Desdobrar, desenvolver: .  Coloque uma conjunção ou um pronome relati
                                                                    . Troque o verbo para outro tempo   
                                                                    . Classifique a oração, conforme esquemas acima.

sábado, 26 de fevereiro de 2011

SINTAXE 2 (continuação 2)

    
                     b)ORAÇÕES  SUBORDINADAS  ADJETIVAS
             Exercem   funções  próprias  de  adjetivos. São ligadas a outras por  pronomes  relativos: 
 QUE  (o qual e variações)  -  O QUAL (sempre precedido de artigo) 
QUEM  (ao qual e variações)  -   CUJO (sempre)  -   ONDE  (no qual e variações)   QUANTO  (antecedido de tudo, tanto, todos)...
  
 SUBORDINADA  ADJETIVA  RESTRITIVA:   Delimitam,  restringem  o  antecedente.  São  indispenáveis  para  o  sentido  da  frase  e  não  devem  ser  separadas  por  vírgulas.                                            
Exemplos:  Eles  venderam  a  casa  /  que  compraram.  (especifica  a  casa)
                    O  aluno  cujo  pai  chegou  é  o  João.   (especifica  o  pai)
                    Pedra que rola não cria limo. (especifica a pedra)
              
 * SUBORDINADA  ADJETIVA  EXPLICATIVA:  Expressa  uma  qualidade  que  já  é  própria  do  antecedente ou  acrescenta uma informação, à maneira de um aposto. É  dispensável  e vem  sempre  separada  por  vírgulas.                                      
Exemplos:   José, que nasceu rico, acabou na miséria..
                     Ele,  que  era  velho,  sentou-se  no  sofá.
                     Pedro adora plantas, que cultivam com carinho.
OBSERVAÇÃO: O uso da vírgula pode modificar o sentido e a classificação  da  oração 
adjetiva.
Exemplos:  Os  homens  que  têm  preço  são  corruptíveis.   (Só  os  que  têm  preço.)
                    Os  homens,  que  têm  preço,  são  corruptíveis.  (Todos  são.)

                       c) ORAÇÕES   SUBORDINADAS  ADVERBIAIS
             Exercem   funções  próprias  de adjuntos adverbiais. São ligadas a outras por  conjunções  subordinativas,  exprimido circunstâncias 9tempo, fim, causa, condição, comparaçãi, etc.)     ( 6C  -  F – P – T )   
  
*  SUBORDINADAS ADVERBIAIS  CAUSAIS:  Expressam  a  causa  do  fato  citado 
na  oração  principal.
   Exemplos:  Interromperam  a  sessão,  porque  faltou  luz.                PORQUE
                       Como  estava tarde,  foi  para  casa.
Conjunções: porque, visto  que,  já  que,  uma  vez  que,  como, porquanto...                                                               

 * SUBORDINADAS   ADVERBIAIS  CONSECUTIVAS:  Expressam  uma  consequência do fato  expressado  na  oração  principal.                                                                             Exemplos:  Correu  tanto  que  cansou.                                                 QUE
                    O  susto  foi  tão  grande  que  ela  desmaiou
                          Conjunções:  tal  que,  tanto  que,  tamanho  que,  tão...que  
                                                                             

* SUBORDINADAS  ADVERBIAIS  CONCESSIVAS:  Expressam   uma  exceção,  concede-se  algo  que  não  se  poderia  fazer.                                                                Exemplos: Embora  chova,  haverá  o  jogo.                                           EMBORA
                   Atendeu  a  todos,  ainda  que  estivesse  cansado.
                 Conjunções:embora,  ainda  que,  por  mais  que,  mesmo  que,  se  bem  que...

                       
 * SUBORDINADAS  ADVERBIAIS  COMPARATIVAS:   Expressam  uma  comparação 
com  a  oração  principal.                                                                       
 Exemplos:   Ele  é  tal  qual  o  pai.                                                          COMO
                      Ele  é  estudioso  como  o  irmão.
                Conjunções:  como,  tal  qual,  mais...que,  menos...que,  assim  como

 * SUBORDINADAS  ADVERBIAIS  CONFORMATI VAS:  Expressam  a  ocorrência  de 
 um fato  de  acordo  com  outro.
Exemplos: Ele  agia  conforme  sua consciência.                             CONFORME
                   Fez  tudo  como  mandaram.
                       Conjunções:  conforme,  como,  consoante,  segundo...
      
 * SUBORDINADAS   ADVERBIAIS   CONDICIONAIS:  Expressam  uma  condição  para 
que  o  fato  da  oração  principal  aconteça.                                         
 Exemplos:  Pode  sair,  contanto  que  volte  logo.                                 SE
                     Se  não  chover,  iremos  à  praia.
          Conjunções:  se,  caso,  contanto  que,  desde  que,  a  menos  que...      
                                                                           

 * SUBORDINADAS  ADVERBIAIS  FINAIS:   Expressam  uma  finalidade,  um  objetivo 
do  fato  citado  na  oração  principal.                                                                                           Exemplos:  Estudei  muito,  a  fim  de  que  fosse  aprovado.        A  FIM  DE  QUE
                    Fiz  sinal  que  se  calasse.
                          Conjunções:  a  fim  de  que,  para  que,  que...

 * SUBORDINADAS  ADVERBIAIS  PROPORCIONAIS: Expressam   proporcionalidade
 de  um  fato  em  relação  a  um  outro.                                                    
 Exemplos:   À  proporção  que  estudamos,  aprendemos  mais.      À   PROPORÇÃO 
                      Quanto  mais  vivo,  mais  aprendo.                                                QUE
                      Quanto  mais  vivo,  mais  aprendo.
             Conjunções:  à  proporção  que,  à  medida  que,  quanto  mais,  quanto  menos...

SUBORDINADAS  ADVERBIAIS  TEMPORAIS:  Expressam  quando  um  fato
aconteceu.                                                                                                              
Exemplos:  Vejo-o,  quando  saio  para  a  aula.                              QUANDO
                   Tão  logo  chegou,  saiu  novamente.
    Conjunções: quando, tão logo, logo que, assim que, depois que, sempre que,  até que,  mal...

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

SINTAXE 2 (continuação)


                   B-PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO:
        É formado  por  uma  oração  principal  e  uma  ou  mais  orações  subordinadas, ligadas à oração principal por conjunções subordinativas.
        Exemplo:  Ninguém  lamentou / que  ele  saísse  da  reunião.
                             or.  Principal                or.  subordinada     
      
      1)ORAÇÃO  PRINCIPAL:   É  aquela  que  não  possui  conjunção  alguma.
          Exemplo:  Todos  prestaram  atenção / quando  ele  chegou.

 
     2)ORAÇÕES   SUBORDINADAS: São  aquelas  que  vêm  ligadas  a  outras  por  meio de  uma  conjunção  subordinativa.  Podem  ser  subordinadas  substantivas,  subordinadas  adjetivas  ou  subordinadas  adverbiais.

         
                             a)

 
ORAÇÕES  SUBORDINADAS  SUBSTANTIVAS
     Exercem  funções  próprias  de  substantivos.  Basicamente  iniciam  pelas  conjunções  integrantes  QUE ou SE, pois são classificadas pela função que exercem em relação a um verbo ou nome que está na oração anterior. A conjunção apenas liga, não dá nenhum sentido especial à oração.
         
       * SUBORDINADA SUBSTANTIVA SUBJETIVA:  Funciona  como  sujeito  do verbo da  outra  oração.
            • Esquema  1:  Verbo  SER  +  Adjetivo  +  Or. Sub. Subst. Subjetiva
            Exemplos:            É                      necessário   /   que  você  venha.
QUE  É QUE...?
 
                                         Foi                   preciso       /    que  ele  viajasse. QUE É QUE...?                                Não    era                   urgente       /     que  você  viesse.          
                            Talvez   seja                importante   /   que  você   compareça.    
       
            . Esquema  2: _Verbo    3ª pes. sing. +   SE  +  Or .Sub. Subst. Subjetiva
              Exemplos:               Fala-se                                      / que  ele  está   doente.
                                               Contou-se                                 / que  eles  não  eram honestos.
QUE  É  QUE...?
 
                                               Diz-se                                       / que  haverá  reeleição.
                  
           .   Esquema 3: Verbo na 3ª  pes. sing.  +  Or. Sub. Subst. Subjetiva:                             Exemplos:            Parece                                    / que  ele  foi  nomeado.                 
                                                Acontece                               / que  ninguém  veio.                          
                                                Urgia                                     / que  você  fosse  para  lá.    
                                                Sucedeu                              / que  ele  não  veio.  
                                                Ocorre                                 / que não houve interesse.
                                     Acontecer–Ocorrer-Parecer–Suceder-Urgir
 
 


                  
      *  SUBORDINADA  SUBSTANTIVA OBJETIVA DIRETA:  Funciona  como  objeto  direto  do verbo da outra  oração.
             . Esquema:      Sujeito  +  Verbo Trans. Direto  +  Or. Sub. Subst. Objetiva Direta
O  QUÊ ?

 
              Exemplos:      João           falou                             /  que  não  viria.
                                      (indet.)       Disseram                     /  que  ele  não  quer  casar.           
    O  QUÊ?                 (oculto)     Pensamos                     /  que  você  tinha  viajado.           
                                     Todos       perguntaram                 /  quando  será  a  reunião.            
                                      Nós          não  sabemos              /  se  ele  virá  hoje.

             OBSERVAÇÃO: As orações   subordinadas  substantivas objetivas  diretas se caracterizam por poderem  ser  ligadas  a  outras  por  vários  tipos de palavras, tais como:
             • CONJUNÇÕES:    que  -  se
             • ADVÉRBIOS   INTERROGATIVOS:  quando  –  como  –  onde  –  por  que  –  para  que
            • PRONOMES   INTERROGATIVOS:   que  -  qual  -  quem  -  quanto

       * SUBORDINADA  SUBSTANTIVA  OBJETIVA  INDIRETA : Funcionam como o objeto indireto do verbo da outra oração.
DE  QUÊ ?
 
          .  Esquema:    Sujeito  +  Verbo Trans. Indireto  +  Or. Sub. Subst. Obj. Indireta                
             Exemplos:   Todos        gostariam                        / de  que  os  ajudassem.            
 
EM  QUÊ ?
 
DE  QUÊ?               Eles           insistiram                        /  em  que  você  comparecesse. 
                                  (oculto)       Lembre-se                      / de  que  deve  estudar.

        * SUBORDINADA  SUBSTANTIVA  COMPLETIVA _NOMINAL:  Funcina como complemento de um nome (substantivo, djetivo ou advérbio) da outra oração
 .  Esquema  1:  Sujeito  +  Verbo Tr.Dir.   +  Obj.Dir. +  Or.  Sub.  Subst. Compl. Nominal
DE  QUÊ ?
 

 
     Exemplos:     Eles           tinham               necessidade  / de  que  os ajudassem.
 DE QUÊ?        (oculto)Não  tive                 dúvidas            / de  que  esta  era  a  verdade.

  A  QUÊ?
 
 
. Esquema 2:  Sujeito  +  V. de Lig. +  Predicativo  do  Suj.  +  Or. Sub. Subst.Compl.Nom.
     Exemplos:    Eles            eram          favoráveis                   /  a  que  fosses  nomeado.
A  QUÊ?          (oculto)       Somos       contrários                    / a  que  eles  venham.        

          * SUBORDINADA_ SUBSTANTIVA  PREDICATIVA:Funciona como o predicativo do sujeito do verbo da outra oração.
             . Esquema:    Sujeito     +    Verbo SER  +  Or. Sub. Substantiva Predicativa
             Exemplos:     A  verdade         é                      /  que  ele  não  veio.
                                    O  certo               foi                   /  que  ninguém  apareceu.
                                    A  solução          será               /  que  a  eleição  seja  anulada.
       
          * SUBORDINADA  SUBSTANTIVA  APOSITIVA:Funciona como um aposto de uma palavra da outra oração.
            Exemplos:   Só  tenho  um  desejo:  /  que  sejas  feliz.
                                 Ele  disse  a  verdade:  /  que  não  viria  à  aula.

         OBSERVAÇÃO: Geralmente, caracterizam-se por virem antecedidas por dois pontos.Mas  podem    também aparecer intercaladas  no  meio  da  oração principal  e  entre  vírgulas.                                                                                                                
Exemplo: A  verdade,  que  ele  era  um  oportunista,  todos  já  conheciam.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

SINTAXE 2


                          III - ANÁLISE SINTÁTICA EXTERNA
 Conceitos básicos:
          1 )PERÍODO    SIMPLES:   Formado  por  uma  única  oração, a qual se chama oração absoluta.                                                                
Exemplo:  Aquele  homem  ali  parece  muito  preocupado.
         2)PERÍODO  COMPOSTO:  Formado  por  mais  de  uma oração. 
Exemplo:  Aqueles  garotos  chegaram / e  logo  foram  abrindo  a  porta.

                 A- PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO:
           É  formado  por  orações  entre  as  quais  existe  independência, podendo  ser  separadas  uma  das  outras   e  formarem períodos simples,  guardando  sentido.
 Exemplos:   Ele  abriu  a  porta,/  entrou / e  sentou-se.
     
     I) ORAÇÕES COORDENADAS:   São  as  que  formam  o  período  composto  por  coordenação e podem aparecer ligadas umas as outras por conjunções coordenativas.
Classificam-se  como:  
       
        1)ORAÇÃO  COORDENADA   ASSINDÊTICA:  Não  é   ligada  a  outra  por  conjunção, isto é, não tem síndeto, portanto é assindética. Há apenas  uma  vírgula.   Exemplo:  Maria  olhou  ao  redor, / sorriu, / saiu  rapidamente.

Observação:  Síndeto é o mesmo que conjunção.
            
          2)ORAÇÃO  COORDENADA  SINDÉTICA:  É  ligada  a  outra  por  uma  conjunção, isto é, um síndeto, portanto se chama sindética. Pode  ser:
        
             a) COORDENADA    SINDÈTICA   ADITIVA:  Ligada  a  outra  por  uma  conjunção   coordenativa  aditiva, que dá idéia de soma, adição.   Exemplo:  Ele  descia  a  ladeira  e  vinha  só.
                             Conjunções: e,  nem,  não  só...mas  também...
:
          b)COORDENADA   SINDÉTICA  ADVERSATIVA: Ligada  a  outra  por  uma  conjunção  coordenativa  adversativa, que dá uma idéia de oposição, contrário do que diz a outra.  Exemplo:   Estudei  muito,   mas  não  entendi  quase  nada.
              
           Conjunções: mas,  porém,  todavia,  contudo,  entretanto,  no  entanto, senão...

           c ) COORDENADA   SINDÉTlCA   ALTERNATIVA:  Ligada  a  outra  por  uma  conjunção coordenativa  alternativa, que apresenta opções, alternativas. 
Exemplo:  Estuda  muito  ou  não  serás  aprovado.
                      
                          Conjunções: ou,  ou...ou,  ora...ora,  quer...quer,  seja...seja...

          d)COORDENADA  SINDÉTICA  CONCLUSIVA: Ligada  a  outra  por  uma  conjunção coordenativa  conclusiva, que apresenta uma conclusão sobre o que diz a outra.    Exemplo:Os alicrces estão fracos, portanto o  muro  pode  cair.
                  
         Conjunções:  logo,  pois (no  meio  ou  fim  da  oração),  portanto,  por  conseguinte...
                         
           e)COORDENADA  SINDÊTICA  EXPLICATIVA:  Ligada a  outra  por  uma  conjunção  coordenativa  explicativa, que dá uma explicação sobre o que diz a outra. Exemplo:  Não  gritem,  porque  ela  está  dormindo.
                  
                  Conjunções:   porque,  que,  pois  (no  início  da  oração)  porquanto...

sábado, 19 de fevereiro de 2011

SINTAXE (continuação 3)

               II-FUNÇÕES  DAS  PALAVRAS  “QUE”  E  “SE
                                
                                    1-A  PALAVRA  “QUE”
   a)FUNÇÕES  MORFOLÓGICAS 
São  as  funções  que  a  palavra  exerce  de acordo  com  a  classe  gramatical  em
]que  é usada  na   frase.
         1-SUBSTANTIVO -  Significando  “alguma  coisa,”  (precedido  de  artigo, 
adjetivo,  pronome...). 
Ex.:  Ela  tem  um  quê de  misterioso.       Havia  um  certo quê  no ar.
     
         2-PREPOSIÇÃO Em  lugar  de “de,  geralmente  entre dois verbos.
 Ex.: Tenho que sair.

         3-INTERJEIÇÃO – Indicando  emoção,  sentimento.
 Ex. Quê!  Você  ainda  não  terminou  o  trabalho?

         4-PARTÍCULA  EXPLETIVA  OU  DE  REALCE Pode  ser  retirada  da  frase.
 Ex.: Quase  que  não  consigo  terminar  o  trabalho.

          5-ADVÉRBIO – Acompanhando  adjetivo  ou  advérbio  para  dar  intensidade (muito).
Ex.:Que lindas são aquelas crianças.! Que longe é a tua casa!                                                           -
          6--PRONOME  RELATIVO -  Pode  ser  trocado  por  “o  qual”  (ou  variações). 
Ex.: Não  encontramos  as  pessoas  que  saíram    pouco.   (as  quais  saíram...)

          7-PRONOME  INDEFINIDO  SUBSTANTIVO -  Significando    que  coisa”.
             Ex.: Que  não  faria  eu  por  você.
           
          8-PRONOME  INDEFINIDO  ADJETIVO -  Acompanhando  substantivo  e  significando  “quanto”. 
Ex.: Que  dinheiro  gasto  à  toa!             Que  coisa  feia  você fez!

          9-PRONOME  INTERROGATIVO  SUBSTANTIVO -  Usado  em  perguntas.
 Ex.: Que  houve  com  você?        Você precisa  de  quê?

          10-PRONOME  INTERROGATIVO  ADJETIVO  Usado  em  perguntas  ao  lado  de  um  substantivo.    Ex.:  Que  história  é  essa?     Que  dia  é  hoje?
                    
         11- CONJUNÇÃO -  Ligando  duas  orações.
Ex.: Chovia  que chovia  sem  parar.   (e – coordenativa  aditiva)
        Venha,  que  eu  espero.  ( porque – coordenativa  explicativa)  .
        Outro,  que não  eu,  irá  à  reunião.  (mas -  coordenativa  adversativa)
        Ele  afirma  que  não  voltará  mais.  (subordinativa  integrante)    
        Difícil  que  fosse  o  problema,  ele  o  resolveria. (embora – subordinativa  concessiva)
        Falei  tanto  que  fiquei  rouco.   (subordinativa  consecutiva)
        Não  podia  sair,  que  estava  cansado.  ( porque – subordinativa  causal)
        É    mais estudioso  que  o  irmão.  (subordinativa  comparativa)
        Não  passa  uma  hora   sem  que  me  aborreças.  (subordinativa  condicional)
        Tudo  farei  para  que  voltes.  ( subordinativa  final)
        Todos  saíram  antes  que  ele  chagasse.  (subordinativa  temporal)

   B-FUNÇÕES  SINTÁTICAS
       São as  funções  que a  palavra exerce em  relação  às  outras  dentro  da  frase.  As  funções  sintática  da  palavra  que  somente  ocorrem  quando  ele  for  morfologicamente  um  pronome  relativo.
     
         *  Quando  o  QUE  estiver  sozinho,  isto  é,  sem  preposição  antes,  ele  pode  ser: 
              1-SUJEITO -  a  palavra  que ele  substitui  seria  o  sujeito.
             Ex.: Prenderam  os  homens / que  roubaram  o  banco.    ( QUE =  os  homens)
        
              2-PREDICATIVO  DO  SUJEITO – a palavra  que ele  substitui  seria  o  predicativo.
            Ex.: Mortais /  que  somos,/  devemos temer  a  Deus.  (QUE  =  mortais)

              3-OBJETO  DIRETO a  palavra  que  ele  substitui  seria  o  objeto  direto.
             Ex.:  A  polícia  levou  o  homem/ que  prendeu  ontem.  (QUE =  o  homem)
   
          * Quando  o  QUE  estiver  acompanhado  de  preposições  (de,  em,  a,  por,  para...),  ele  pode  ser:
              1-OBJETO  INDIRETO – a  palavra  que  ele  substitui  seria  o  objeto  indireto.
              Ex.: Assisti  ontem  à  peça / de  que  tanto  falaste,   ( DE  QUE  =  da  peça)

              2-COMPLEMENTO  NOMINAL - a  palavra  que  ele  substitui  seria  complemento  nominal.
              Ex.: O  trabalho / a  que  ele  era  dedicado/ foi  reconhecido.   (A  QUE  =  ao  trabalho)
  
              3-ADJUNTO  ADVERBIAL – a  palavra  que  ele  substitui  seria  adjunto  adverbial.
               Ex.: A   doença / de  que  morreu / era  gravíssima.   (DE  QUE  =  da  doença)

              NOTA:  Outros  pronomes  relativos  também  podem  exercer  funções  sintáticas.
                   Ex.: A  pessoa  /de quem  falaste/ está  aqui.   (DE  QUEM =  a  pessoa  =  objeto  indireto)
                           O  lugar / onde  moro / é  longe. (ONDE =  no  lugar  =  adjunto  adverbial  de  lugar)

                                       2-A  PALAVRA  “SE”
   a)FUNÇÕES  MORFOLÓGICAS
  De  acordo com  a classe  gramatical  em  que  é  usada.                                                                                                
          1-PARTE  INTEGRANTE  DO  VERBO -  Usado  com  verbos  pronominais.
             Ex.: Ele  arrependeu-se  do  que  fez.      A  professora  zangou-se  com  a  turma.

           2-PARTÍCULA  EXPLETIVA  OU  DE  REALCE  -  Pode  ser  retirado  da  frase.
           Ex.; Ela  se foi  para  Santa  Catarina.     (Ela  foi  para  Santa  Catarina)

           3-PARTÍCULA   APASSIVADORA  – Em  frase  na  voz  passiva  sintética  ou  pronominal.
              Ex.: Vendem-se  casas.     Aluga-se  um  apartamento.
         
           4-ÍNDICE  DE  INDETERMINAÇÃO  DO  SUJEITO – Verbo  intransitivo/  transitivo  indireto.        
              Ex.: Vive-se  bem  aqui.   Precisa-se  de  funcionários.  Aqui  se  está  bem.

           5-PRONOME  REFLEXIVO – Significando  “a  si  mesmo (a)”
              Ex.: Ele  cortou-se  com  a  faca.   Maria  olhava-se  no  espelho

           6-PRONOME  RECÍPROCO – Significando  “um  ao  outro”.
              Ex.: Os   jogadores  agrediram-se  ao  final  do  jogo.    Eles  abraçaram-se.

           7-CONJUNÇÃO -  Ligando  duas  orações.
              Ex.: Perguntei /  se  ele  estava  só.      ( conjunção  subordinativa  integrante)
                      Falarei /  se  você  ficar  quieto.   ( conjunção subordinativa condicional)
                     
b) FUNÇÕES  SINTÁTICAS
              O  pronome  se exerce  funções  sintáticas  somente  quando usado como  pronome  reflexivo   ou   recíproco.     
             1-SUJEITO  DE  VERBO  NO  INFINITIVO – Entre  dois  verbos,  sendo  o  segundo  no  infinitivo.
               Ex.: Ela  deixou-se  ficar  na  janela.    Sofia  comprometeu-se  a  levar  o  bolo.

              2-OBJETO  DIRETO – Com  verbo  transitivo  direto.
               Ex.: O pobre  homem  enforcou-se.

               3-OBJETO  INDIRETO – Com  verbo  transitivo  indireto.
              Ex.: Esse  rapaz  dá-se  muita  importância.